Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
B
Líderes religiosos relatam brutal perseguição aos cristãos na China
06/01/2019 06:43 em gospel

A China está reforçando seu controle sobre os cristãos do país através de repetidos esforços para perseguir e silenciar a Igreja.

Os crentes chineses estão sendo presos, encarcerados e alguns até torturados por sua fé. Além disso, oficiais do governo estão removendo cruzes de igrejas, queimando Bíblias e demolindo prédios de igrejas.

“As igrejas foram forçadas a fechar. A China proibiu a venda on-line da Bíblia enquanto trabalha para reescrever as escrituras para incluir mensagens pró-governo”, disse Jay Sekulow, conselheiro-chefe do Centro Americano de Direito e Justiça (ACLJ, sigla em inglês).

Sekulow diz que é parte de uma campanha total para erradicar a fé dos chineses que escolhem seguir Jesus Cristo.

Enquanto isso, o ACLJ lançou uma petição para lutar pela liberdade de um pastor cristão, John Cao, que Sekulow relata estar atrás das grades em uma ‘cela de prisão chinesa lotada’ por quase dois anos”.

“Depois de décadas servindo pacificamente os pobres, fornecendo suprimentos necessários e construindo escolas na China e em Mianmar, o Pastor John – um residente permanente dos EUA – foi preso e condenado por acusações absurdas”, disse Sekulow.

O ACLJ está trabalhando em um nível internacional para pressionar a China a parar a perseguição aos cristãos, o que inclui libertar Cao.

Outros líderes cristãos também estão se manifestando contra a perseguição religiosa na China. O Dr. Bob Fu, fundador e presidente da China Aid , emitiu a seguinte declaração à CBN News :

“Em 2018, o regime do presidente Xi declarou uma guerra total contra as minorias religiosas, a educação religiosa das crianças e o estado de direito”, escreveu ele. “Com pelo menos um milhão de uigures (povo de origem turcomena que habita principalmente a Ásia Central) em campos de concentração, milhares de igrejas fechadas, centenas de milhares de detenções arbitrárias de cristãos e desaparecimentos de advogados de direitos humanos”.

A administração Trump está chamando os líderes de sua maior base, os evangélicos, para ajudar em sua batalha contra a China – especialmente quando se trata de perseguição religiosa.

Fonte: CBN News

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!